Resenha | Condado Maldito 1: Bruxas e Assombrações, de Cullen Bunn e Tyler Crook

As primeiras páginas da HQ Condado Maldito 1: Bruxas e Assombrações são muito impactantes. Elas mostram a população do condado de Harrow executando a bruxa Hester Beck sem misericórdia. Ela é baleada, esfaqueada, enforcada e tem seu corpo queimado. Ainda assim, antes de morrer, a mulher promete que vai voltar.

Dezoito anos depois o lugar parece estar em paz, mas Emmy, a protagonista da história, sabe que há algo errado. Prestes a atingir a maioridade, ela tem pesadelos recorrentes e acredita que o local é assombrado. Pra piorar, os animais da fazenda onde vive com o pai estão morrendo misteriosamente.

Em pouco tempo, Emmy vai descobrir não só que existem muitas criaturas sobrenaturais no condado, como também que há uma conexão entre ela e esses seres. E mais: essa conexão pode acabar custando a sua vida.

Embora seja, obviamente, uma história em quadrinhos de terror, Condado Maldito 1: Bruxas e Assombrações tem como temas a descoberta da identidade e o livre arbítrio. Em seu processo de autoconhecimento, Emmy precisa se equilibrar entre a pessoa que é e a pessoa que quer ser.

Assim como a protagonista, todos os personagens apresentam uma certa ambiguidade. O roteiro de Cullen Bunn brinca bastante com isso, fazendo com que algumas pessoas tenham atitudes monstruosas e que monstros demonstrem fidelidade e empatia, sem deixar de ser assustadores. O bem e o mal trocam de lado diversas vezes ao longo da história e a linha que os divide é tênue.

A arte de Tyler Crook combina perfeitamente com o roteiro. Ela transmite a inocência de Emmy em alguns momentos e causa arrepios em outros.

A edição da DarkSide (em parceria com a Macabra TV) tem vários extras, como esboços de Crook, os primeiros capítulos em prosa (a ideia original de Bunn era escrever um romance) e desenhos de artistas como Jeff Lemire inspirados no livro.

Como se trata apenas do primeiro volume (num total de 8), Condado Maldito 1: Bruxas e Assombrações funciona como uma introdução. Somos apresentados àquele mundo e aos personagens que vivem lá. Fica um gostinho de quero mais, mas é um início muito promissor e as minhas expectativas estão bem altas para os próximos volumes.

Ainda mais depois da figura misteriosa que aparece na última página.


CONDADO MALDITO 1: BRUXAS E ASSOMBRAÇÕES
Autores:
Cullen Bunn (texto) e Tyler Crook (arte)
Tradução: Jim Anotsu
Editora: DarkSide Books
Páginas: 160
Onde comprar: Amazon | DarkSide Books

*Livro recebido através da parceria com a DarkSide Books.


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Um comentário em “Resenha | Condado Maldito 1: Bruxas e Assombrações, de Cullen Bunn e Tyler Crook

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s