Resenha | VHS – Verdadeiras histórias de sangue, de Cesar Bravo

Antes mesmo de começar a leitura, é impossível não ficar impressionado com o projeto gráfico de VHS – Verdadeiras histórias de sangue. A capa remete a uma fita de vídeo antiga e suja, as guardas reproduzem os adesivos de identificação que acompanhavam as fitas, e encontramos inúmeras lembranças da época dos videocassetes. O livro apresenta também notícias de jornal, anúncios, fotos e um mapa da Região Bravo (formada pelo município de Três Rios e as cidades vizinhas), onde se passam os 18 contos reunidos nesse volume.

Diferentes elementos do horror

Logo na primeira história, Firestar Videolocadora, Cesar Bravo nos leva ao final da década de 1980, no auge das locadoras de vídeo. Os proprietários da Firestar começam a disponibilizar para aluguel fitas caseiras que clientes descartaram. Durante a identificação dessas fitas, eles descobrem que elas não contêm apenas cenas de formaturas e aniversários, mas também registros de acontecimentos macabros. Embora esse primeiro conto não seja retomado diretamente, é como se o leitor também assistisse a essas fitas, e se deparasse com tudo de sinistro que ocorre naquela região.

Uma coisa impressionante é que o livro, mesmo com 18 narrativas, não é repetitivo em nenhum momento. Bravo utiliza diferentes elementos do horror: fantasmas vingativos, maldições, demônios, portais, animais possuídos, pessoas cruéis e terror psicológico . Até a batida lenda urbana da Loira do Banheiro é recontada pelo autor — no conto Branco como algodão — e essa é uma das histórias mais arrepiantes de todas.

Um ótimo representante do terror nacional

Obviamente, VHS não é indicado pra quem não gosta de terror. A escrita de Cesar Bravo é visceral, e o livro tem muitas passagens violentas, perturbadoras e explícitas, às vezes tudo ao mesmo tempo. Mas os contos são tão intrigantes e surpreendentes, que é praticamente impossível parar de ler.

Outro detalhe interessante é que cada narrativa tem uma letra de música como epígrafe. Com isso, descobrimos que Bravo, além de ser um baita escritor, tem um ótimo gosto musical.

O escritor Cesar Bravo.

Se você lê apenas terror internacional, dê uma chance a VHS – Verdadeiras histórias de sangue. Você vai se surpreender como o sobrenatural pode ocorrer em todos os lugares, inclusive no interior de São Paulo.

Eu ainda não conhecia o trabalho do Cesar Bravo, mas agora quero ler qualquer coisa que tenha o nome dele envolvido.


Avaliação: 5 de 5.

VHS – VERDADEIRAS HISTÓRIAS DE SANGUE
Autor:
Cesar Bravo
Editora: DarkSide Books
Páginas: 288
Onde comprar: Amazon | DarkSide Books

*Livro recebido através da parceria com a DarkSide Books.


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

5 comentários em “Resenha | VHS – Verdadeiras histórias de sangue, de Cesar Bravo

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s