Resenha | Entre as estrelas: Aquiles, de Marcílio Moraes

Entre as estrelas: Aquiles – A saga de um autor de telenovelas
Autor: Marcílio Moraes
Editora: 7 Letras
Páginas: 144
Onde comprar: Amazon

Marcílio Moraes deve ter perdido as contas de quantas vezes foi questionado se Entre as estrelas: Aquiles – A saga de um autor de telenovelas, seu segundo romance, é uma obra autobiográfica. É difícil fugir dessa pergunta, já que Marcílio se tornou conhecido justamente escrevendo novelas na Globo e na Record (ele criou folhetins como Sonho meu e Vidas opostas, além de ter colaborado em produções importantíssimas da televisão, como Roque Santeiro e As noivas de Copacabana). Mas a resposta do autor é: não, o livro não é autobiográfico. Isso não deve diminuir em nada o interesse pela obra, que tem uma linguagem bastante original e ainda por cima é muito engraçada.

Entre as estrelas: Aquiles se passa no começo da década de 1990 e narra a história de Joca, um dos melhores novelistas do Brasil. Apesar de todo o seu prestígio, ele se sente traído pela própria emissora depois que Nize, uma atriz que iria atuar em sua próxima novela, é remanejada para o elenco de uma trama que vinha sendo exibida.

Joca não aceita que eles tenham mexido justamente com a Nize: uma atriz que ele descobrira, pra quem ele tinha escrito um papel sob medida, e por quem ele sentia uma atração irresistível (mesmo sendo casado).

Dessa forma, o enredo do livro é, basicamente, a “saga” de Joca tentando convencer a emissora a mudar de ideia e devolver sua atriz. Enquanto isso, acompanhamos seu consumo cada vez maior de bebidas, sua rotina de trabalho e sua relação – quase nunca amistosa – com outros profissionais da televisão: atores, atrizes, diretores, secretárias, executivos… Com o orgulho ferido, Joca enxerga a todos como rivais.

O que mais me agradou em Entre as estrelas: Aquiles não foi a trama, mas sim a construção do texto. Marcílio Moraes combina a narração tradicional em terceira pessoa com o fluxo de consciência em primeira pessoa do protagonista, o que gera um resultado inusitado e, por isso mesmo, muito interessante.

Ao escrever o que Joca está pensando, o autor abandona a pontuação e mistura erudição, palavrões e gírias em frases explosivas. Muitas vezes, o que o personagem pensa contradiz sua atitude naquele mesmo momento, gerando um efeito muito engraçado.

Marcílio Moraes também incluiu no texto marcações de cena como “OFF”, além de trechos de roteiros escritos por Joca. O autor ainda brinca com situações que se tornaram clichês em novelas, como o homem que chega em casa e vai direto pegar um copo de uísque.

Um aspecto que pode desagradar algumas pessoas é o lado grosseiro de Joca. O personagem fala (e pensa) muitos palavrões, chegando a ser estúpido e preconceituoso – principalmente quando está alcoolizado. Esse lado mais “desagradável” do protagonista pode incomodar leitores mais sensíveis.

Mas eu gostei bastante de Entre as estrelas: Aquiles e recomendo a leitura, sendo você um fãs das novelas escritas por Marcílio, ou não. É um livro irônico, divertido e com um estilo muito ousado e original.

*Livro recebido como cortesia da agência Oasys Cultural.

AVALIAÇÃO

4-estrelas-2

→ Fotos: Lucas Furlan

Um comentário em “Resenha | Entre as estrelas: Aquiles, de Marcílio Moraes

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s