Resenha | ‘As Sombras de Outubro’, de Sørem Sveistrup

Já ficou bem claro pra quem acompanha minhas resenhas por aqui que adoro o gênero suspense, né? Acredito que essa paixão surgiu com os livros da Agatha Christie. Sempre me encantei com a forma como seus detetives vão juntando as peças da investigação e, de repente, tudo é revelado. E na maioria das vezes eu fico espantada, porque o criminoso não é quem eu esperava que fosse.

Continuar lendo “Resenha | ‘As Sombras de Outubro’, de Sørem Sveistrup”

Resenha | ‘Uma Família Quase Perfeita’, de M. T. Edvardsson

Sabe aqueles livros que a gente começa a ler e não consegue largar? “Uma Família Quase Perfeita”, de M.T. Edvardsson, é um desses!

Nele somos apresentados a uma pequena família sueca, conhecida e respeitada por toda a comunidade onde vivem. Adam, o pastor da igreja local, é o pai; Ulrika, uma experiente advogada de defesa, é a mãe; Stella, uma jovem de 18 anos, é a filha. Ela está presa, acusada de assassinato.

Continuar lendo “Resenha | ‘Uma Família Quase Perfeita’, de M. T. Edvardsson”

Resenha | Podcaster investiga o retorno de um serial killer no eletrizante ‘Garota, 11’

Desde o ano passado, me rendi aos podcasts. Tenho ouvido vários, sobre os mais diferentes temas. Agora, lavar louça e fazer faxina é só ao som desse tipo de conteúdo.

Entre tantos podcasts que venho ouvindo, fiquei viciada no Modus Operandi. Por causa dele, fui levada também ao Caso Evandro (do Projeto Humanos). Sim, meus amigos, True Crime total!

Imagina se não fiquei doida pra ler Garota, 11, lançamento da Editora Suma, tão logo ele chegou por aqui!

Continuar lendo “Resenha | Podcaster investiga o retorno de um serial killer no eletrizante ‘Garota, 11’”

Resenha | ‘Sete mentiras’ tem uma narradora questionável, mas cativante

Escrever sobre Sete mentiras — livro de estreia da inglesa Elizabeth Kay — é um desafio, porque qualquer coisa que eu diga a mais pode estragar sua experiência de leitura. Mas prometo ser cuidadosa.

Continuar lendo “Resenha | ‘Sete mentiras’ tem uma narradora questionável, mas cativante”