Resenha | “Joyland”: uma bela porta de entrada para a obra de Stephen King

Toda vez que posto algum conteúdo sobre o Stephen King, duas perguntas sempre aparecem nos comentários: “Nunca li nada dele, o que você indica pra começar?” e “Quero ler Stephen King mas tenho medo de livros de terror, o que você recomenda?”. Joyland pode ser a resposta para ambas as questões.

Publicado em 2013, o livro tem um serial killer, espíritos e uma criança com poderes especiais, mas o medo e o sobrenatural não são o tema principal da obra. Joyland é, antes de mais nada, sobre amadurecimento e nostalgia.

O escritor Stephen King.

O narrador do livro é o escritor Devin Jones, que relembra o período, em 1973, quando trabalhou no parque de diversões que dá nome ao romance. Joyland guardava um mistério, que o intrigou instantaneamente: o lugar supostamente era assombrado pelo fantasma de Linda Gray, uma jovem que fora assassinada ali alguns anos antes.

Nas suas idas e vindas do parque, Devin conhece Mike, um garoto especial que sofre de uma doença degenerativa, e Annie, sua jovem mãe. Os três desenvolvem uma relação muito forte, que afeta profundamente o rumo de suas vidas.

Detalhe da contracapa de Joyland, de Stephen King.

A ambientação que Stephen King faz em Joyland é excelente. A descrição dos brinquedos, das barracas de alimentação, dos uniformes e do público faz com que o leitor realmente se sinta no parque. Sem falar do vocabulário específico dos funcionários, cheio de gírias e jargões que só eles entendem. Os personagens também são muito bem construídos e apresentam diferentes facetas ao longo do livro.

Embora tenha momentos muito divertidos e um clímax bem tenso, o tom geral de Joyland é de melancolia. Devin se depara, inúmeras vezes, com a efemeridade da vida, que se reflete no risco do parque fechar, na saúde frágil de Mike, no fim do seu namoro e no assassinato de Linda. Sua passagem por Joyland é um rito de passagem, talvez o fim de sua inocência.

Gostei muitíssimo do livro e indico a leitura tanto pra quem já é fã do Stephen King, quanto pra quem deseja ter um primeiro contato com o trabalho do autor.


Capa do livro Joyland, de Stephen King.

JOYLAND
Autor:
Stephen King
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Suma
Páginas: 240
Onde comprar: Amazon


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s