Resenha | Acender uma fogueira, de Jack London

Aqui estou eu pra falar de mais um conto disponibilizado pela editora Morro Branco em seu site, dentro do Projeto Cápsula. Reafirmo o que eu disse antes: a seleção das narrativas até agora tem sido perfeita! Pois bem, o assunto de hoje é Acender uma fogueira, conto clássico de Jack London que foi publicado em 1908.

Um homem e um cão num frio congelante

London (pseudônimo de John Griffith Chaney) narra a jornada de um homem e um cão rumo a um acampamento nas inóspitas margens do rio Yukon, no norte do Canadá, uma região de inverno rigorosíssimo. A trilha que eles precisam percorrer está congelada e a temperatura marca inimagináveis 60 graus negativos.

Logo fica evidente que aquele homem não deveria estar ali. Ele foi aconselhado a não fazer aquela viagem sozinho, não conhece muito bem o local e é inexperiente. Pra tentar sobreviver, ele precisa desafiar uma adversária muito mais forte que ele: a própria natureza.

O duelo homem versus natureza me fez lembrar de O velho e o mar, mas existe uma grande diferença entre as obras. No romance de Ernest Hemingway, o pescador Santiago faz inúmeras reflexões sobre sua vida e sua condição, enquanto em Acender uma fogueira o protagonista — de quem não sabemos o nome — não parece se preocupar com questões filosóficas; ele apenas tenta superar as adversidades que surgem.

O escritor norte-americano Jack London (1876-1916).

Um dos contos mais famosos de London

Em alguns momentos, Jack London expõe o ponto de vista do cachorro. O animal parece ser muito mais sensato e precavido do que o homem, mas o cão sabe que, embora não exista nenhum laço afetivo entre eles, os dois estão juntos naquela situação.

London trabalha muito bem a tensão crescente no texto, e eu realmente não esperava aquele desfecho. O conto é bem seco, sem sentimentalismo, e é muito emocionante. Acender uma fogueira é uma das narrativas curtas mais famosas do autor e eu recomendo muito a leitura!


Avaliação: 5 de 5.

ACENDER UMA FOGUEIRA
Autor:
Jack London
Tradução: Victor Gomes e Giovana Bomentre
Editora: Morro Branco
Páginas: 31
Onde ler: site da editora Morro Branco


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Um comentário em “Resenha | Acender uma fogueira, de Jack London

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s