Resenha | Um conto de Natal, de Charles Dickens

Um conto de Natal foi minha última leitura de 2019. Como era de se esperar, eu pretendia publicar esta resenha entre os dias 24 e 25 de dezembro, mas o ritmo das coisas fica um pouco diferente no fim do ano… Não tem problema: esse clássico de Charles Dickens pode — e deve — ser lido em qualquer época do ano.

Scrooge e os fantasmas do Natal

Na história, somos apresentados ao velho Ebenezer Scrooge, um homem de negócios egoísta e avarento. Na véspera de Natal (data que ele despreza), Scrooge recebe a visita do fantasma de seu falecido sócio, Jacob Marley, que avisa ao antigo amigo que outras três assombrações aparecerão para ele: o Espírito dos Natais Passados, o Espírito do Natal Presente e o Espírito dos Natais Futuros. Segundo Marley, esses três fantasmas são a única esperança para Scrooge escapar do terrível destino que está reservado para ele.

Os espíritos chegam sucessivamente e levam o velho ranzinza a uma viagem pelo tempo e pelo espaço, com a intenção de fazer com que Scrooge mude sua opinião sobre o Natal e passe a valorizar o que realmente vale a pena na vida.

O escritor inglês Charles Dickens (1812-1870).

Antes de ler, eu tinha a impressão de que Um conto de Natal seria uma narrativa piegas, o que não é verdade. No texto — que foi publicado originalmente em 1843 —, Charles Dickens defende valores como bondade, amizade e generosidade de forma simples e bem-humorada; o conto emociona e também diverte bastante. Há quem diga que foi essa história que definiu o “espírito natalino”, o sentimento de alegria e cumplicidade que sempre surge no Natal.

Pra ser lido em qualquer época do ano

Mesmo que você conheça a história por meio das inúmeras adaptações, literais ou não, que já foram feitas, principalmente no cinema (de Os fantasmas contra-atacam a Os fantasmas de Scrooge, passando por O conto de Natal do Mickey), ainda vai se surpreender com a força e a beleza do texto original.

Um conto de Natal está disponível no catálogo de várias editoras, em volumes individuais ou coletâneas. Eu destaco as edições da Antofágica, da Martin Claret (com o nome Um cântico de Natal e outras histórias) e da Penguin-Companhia (traduzido como Uma canção de Natal). Eu li a edição da L&PM em eBook, que também é excelente e está disponível no Kindle Unlimited.

Seja qual for a edição que você vai escolher, Um conto de Natal é um clássico fundamental, que pode SIM ser lido sim em qualquer época do ano e tem a capacidade de colocar um grande sorriso no rosto do leitor.

capa-um-conto-de-natal-dickens-lpm

UM CONTO DE NATAL
Autor: Charles Dickens
Tradução: Ademilson Franchini e Carmen Seganfredo
Editora: L&PM
Páginas: 144
Onde comprar: Amazon


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s