Resenha | A história de Joe Shuster, de Julian Voloj e Thomas Campi

Você pode gostar do Homem-Aranha, do Batman, do Wolverine ou da Mulher-Maravilha. Todos têm seu valor, mas uma coisa é incontestável: o herói mais importante das histórias em quadrinhos é o Superman. Além de ser o personagem mais popular, foi com o surgimento do Homem de Aço que teve início a indústria das HQs como conhecemos hoje.

Sabendo disso, seria lógico pensar que os criadores do Superman — o desenhista Joe Shuster e o escritor Jerry Siegel — levaram uma vida de glória e ficaram milionários com os direitos autorais do personagem. Mas a realidade não foi bem assim, como conta a ótima graphic novel A história de Joe Shuster – o artista por trás do Superman.

Três décadas de embates judiciais

Shuster e Siegel se conheceram na adolescência em Cleveland e tinham muito em comum. Ambos eram filhos de imigrantes judeus e adoravam ficção científica. Jovens, talentosos e cheios de imaginação, eles já tinham criado, sem sucesso, diversos personagens, até que conseguiram vender a primeira história do Superman. Ela foi publicada na primeira edição da revista Action Comics, em 1938, e se tornou um fenômeno imediato.

Pela história, os criadores do herói receberam 130 dólares, um valor razoável, na época, para autores iniciantes. O problema é que, ingenuamente, Joe Shuster e Jerry Siegel assinaram um documento cedendo os direitos do Superman aos editores. Por mais que continuassem criando novas aventuras para o herói, todo o lucro gerado com os quadrinhos (e com as adaptações posteriores no rádio, na TV e no cinema) não ia para eles.

Com o passar dos anos, Sieger e Shuster enfrentaram sérias dificuldades financeiras e passaram por muitas — muitas mesmo — situações tristes. Os embates judiciais pelos créditos da criação do Superman se estenderam por mais de três décadas.

As origens do Superman (e do mercado de quadrinhos)

Obviamente, é revoltante ver como Siegel e Shuster foram manipulados e desprezados por empresários inescrupulosos, mas a leitura da graphic novel é incrível! A história de Joe Shuster tem um tom de ingenuidade que combina perfeitamente com a personalidade do biografado. O texto de Julian Voloj é sutil e a arte de Thomas Campi é linda e delicada.

Além de apresentar muitas informações sobre a criação do Superman, a HQ revela detalhes do nascimento e do desenvolvimento da indústria dos quadrinhos. Nomes importantíssimos da nona arte aparecem na história, como Will Eisner, Bob Kane (que é apresentado como um babaca), Stan Lee e Neal Adams.

A história de Joe Shuster é obrigatória para quem quer conhecer melhor as origens do Superman e do mercado de quadrinhos, e também pra quem, simplesmente, está procurando uma ótima graphic novel pra ler.

capa-a-historia-de-joe-shuster

A HISTÓRIA DE JOE SHUSTER – O ARTISTA POR TRÁS DO SUPERMAN
Autores:
Julian Voloj (roteiro) e Thomas Campi (arte)
Tradução:
Marcia Men
Editora:
Aleph
Páginas:
192
Onde comprar:
Amazon


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Um comentário em “Resenha | A história de Joe Shuster, de Julian Voloj e Thomas Campi

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s