Lista | 7 motivos que fazem “A piada mortal” ser tão impactante

O filme Coringa é um dos mais aguardados do ano. Dirigido por Todd Phillips, o longa narra a origem do arqui-inimigo do Batman e causou sensação no Festival de Veneza, onde fez sua première. Aliás, só pelo trailer — que é espetacular — já teve gente apostando que Joaquin Phoenix será indicado ao Oscar por sua interpretação do vilão.

O problema é que Coringa só estreia no dia 3 de outubro. Pra tentar diminuir a ansiedade, eu sugiro que você leia a clássica HQ A piada mortal. O filme não é uma adaptação dela, mas a história é uma das aparições mais marcantes do “Príncipe Palhaço do Crime”.

Confira sete motivos que fazem A piada mortal ser tão impactante até os dias de hoje:

1 – A teoria do Coringa

Na trama, o Coringa foge do Asilo Arkham decidido a comprovar sua teoria de que qualquer homem enlouqueceria se tivesse um dia muito ruim, por mais sensato que ele fosse até então. Como cobaia para a sua experiência, ele escolhe o Comissário Gordon e ataca o ponto mais vulnerável do policial: sua filha Bárbara, que por muito tempo foi a Batgirl. Na sequência, o Coringa tortura Gondon física e mentalmente (com direito a um bizarro parque de diversões), em cenas que continuam chocantes quase 30 anos depois de seu lançamento original.

2 – Alan Moore e Brian Bolland

Quem escreveu A piada mortal foi ninguém menos que Alan Moore. Quando a história foi publicada, em 1988, o autor inglês vivia seu auge, em meio a trabalhos como Monstro do pântano, WatchmenV de vingança e Do inferno. Moore não gosta tanto de A piada mortal e julga que a obra é simples demais e tem muita violência desnecessária. Com pouco mais de 40 páginas, realmente a história não tem a mesma complexidade de Watchmen, mas narra o confronto definitivo entre o Batman e o Coringa.

A arte ficou a cargo de Brian Bolland e os desenhos são fantásticos. O trabalho que ele faz nas expressões do Comissário Gordon e do Coringa são de cair o queixo. Algumas das imagens mais icônicas do vilão foram retiradas dessa HQ.

3 – A origem do Coringa

Ao mesmo tempo em que narra as ações do Coringa contra o Comissário Gordon, A piada mortal apresenta em flashback a origem do criminoso. Moore e Bolland conseguem humanizar o personagem, traçando vários paralelos entre o seu trágico passado e o presente. E fica claro que o Coringa enlouqueceu definitivamente depois de um dia muito ruim.

4 – Um verdadeiro psicopata

O Coringa sempre foi representado nos gibis e na televisão como um maluco, mas, por ter um lado bem humorado, ele nunca pareceu completamente ameaçador. Porém, em A piada mortal ele é assustador. Ele apresenta um número musical para o Comissário Gordon e ainda tem armas de brinquedo, mas seu sadismo e psicopatia estão mais fortes do que nunca. Sem essa história, talvez não tivéssemos o Coringa vivido por Heath Ledger no filme Batman – O cavaleiro das trevas.

5 – Batman insano?

O Coringa decide testar sua teoria com o Comissário Gordon pois, em sua opinião, o Batman é tão insano quanto ele. Mesmo sem conhecer a identidade do herói, o Coringa aposta que o indivíduo por trás do Homem-morcego também enlouqueceu depois de um dia ruim — o que, de certa forma, é verdade. O Batman apresenta um comportamento violento em diversas partes da história, cabendo a Gordon frear seus impulsos.

6 – Uma história controversa

A piada mortal é uma HQ polêmica e controversa. Tem violência, nudez, tortura, abusos, palavrões… Muitos consideram que esses elementos foram usados de forma desnecessária e até exagerada. O ataque do Coringa contra Bárbara Gordon é chocante, pela violência e por se tratar de uma personagem querida. Provavelmente você já sabe o que acontece, mas eu não quero revelar pra quem ainda não leu. Além disso, o final é ambíguo e fica aberto a diferentes interpretações.

7 – A HQ é extremamente influente

A princípio, A piada mortal seria uma história independente, mas seu sucesso fez com que vários elementos ali presentes fossem inseridos nas histórias posteriores do Batman. A personalidade que Alan Moore e Brian Bolland deram ao Coringa se tornou intrínseca ao personagem. As consequências do ataque sofrido por Barbara Gordon fizeram com que ela abandonasse definitivamente o uniforme da Batgirl e passasse a combater o crime como Oráculo.

A piada mortal ganhou o Prêmio Eisner de “melhor graphic album” em 1989 e influenciou os cineastas Tim Burton e Christopher Nolan em seus filmes do Homem-morcego. De quebra, a história foi adaptada num longa de animação lançado em 2016.

Resumindo: A piada mortal é um dos maiores clássicos desses 80 anos do Batman, e é leitura obrigatória pra quem quer conhecer melhor o herói e seu maior inimigo. Se você já leu, conte pra mim o que achou nos comentários.


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s