Lista | 5 razões que provam que a saga Star Wars poderia ter sido criada por William Shakespeare

Sabia que hoje é o Star Wars Day? A data foi criada quando alguém se deu conta de que a pronúncia para “4 de maio” em inglês (“May the 4th”, ou “May the fourth”) é muito parecida com o começo da frase mais famosa da saga criada por George Lucas (“May the force be with you”, ou “Que a força esteja com você”, em português).

Apesar de todo o sucesso de Star Wars, ainda tem muita gente que torce o nariz para a história de Darth Vader, Luke Skywalker e companhia, dizendo que se trata apenas de mero entretenimento. Mas quem é fã de verdade discorda. Star Wars tem muito mais em comum com várias obras de William Shakespeare, por exemplo, do que sonha a nossa vã filosofia. Duvida? Então confere aí!

Atenção: a lista a seguir contem alguns spoilers de todos os filmes de Star Wars e também de algumas peças de Shakespeare.

1 – Darth Vader é o personagem mais trágico de todos os tempos

Quem já leu alguma tragédia escrita por Shakespeare sabe que os personagens sofrem bastante e, no final, quase todo mundo morre. No cinema, poucos personagens foram tão trágicos quanto Anakin Skywalker/Darth Vader. Ele não tinha pai, foi escravo quando era criança, precisou se separar da mãe quando era bem pequeno e só a reencontrou pouco antes de ela morrer, precisou se casar escondido, passou para o lado negro da força para tentar salvar a esposa mas ela morreu no parto mesmo assim, brigou com o melhor amigo e quase foi morto por ele, passou a viver num corpo cibernético, foi odiado pelos filhos, matou um monte de gente, passou a vida sendo iludido pelo Imperador Palpatine e, quando finalmente se regenerou, morreu. Se não bastasse tudo isso, mesmo depois de morto, Vader se tornou uma influência negativa para o seu neto Ben Solo (também conhecido como Kylo Ren). Tá bom pra você? Resumindo: Darth Vader = Tragédia.

2 – Palpatine é tão manipulador quanto Iago e Lady Mabeth

William Shakespeare criou vários personagens ambiciosos e manipuladores. Em Macbeth, por exemplo, o personagem título caiu na conversa de sua esposa, Lady Macbeth, e foi convencido por ela a matar o rei Duncan, pra que ele se tornasse o próximo governante da Escócia. Da mesma forma, o senador (e futuro Imperador) Palpatine enche Anakin Skywalker de promessas de poder e o convence a passar para o lado negro da força. Outro personagem manipulador criado por Shakespeare é Iago. Na peça Otelo, ele faz com que o protagonista comece a sentir ciúmes e a desconfiar da fidelidade da esposa, a inocente Desdêmona. Em Star Wars, Palpatine vive fazendo insinuações e dando indiretas que fazem com que Anakin passe a sentir inveja e a desconfiar da amizade de seu mentor e melhor amigo, Obi-Wan Kenobi.

3 – Han Solo e Leia têm muito em comum com Petrúquio e Catarina

O contexto em que eles se conhecem é totalmente diferente, mas o romance de Han Solo e Lea Organa é muito parecido com a relação de Petrúquio e Catarina em A megera domada. Pense bem: o par romântico de Star Wars é tão teimoso e “cabeça-dura” quanto o casal da comédia de Shakespeare. A relação entre a princesa e o contrabandista rende alguns dos momentos mais engraçados dos filmes e, assim como no caso de Petrúquio e Catarina, é óbvio que eles foram feitos um para o outro. Só acho que quem acaba sendo domado em Star Wars é o “megero” Han Solo, e não a Princesa Lea (em O despertar da força eles estão separados, mas isso é outra história).

4 – Busca pelo poder + briga em família = treta na certa

Tanto Hamlet quanto Star Wars têm entre seus temas a luta pelo poder e os conflitos familiares. Na obra de Shakespeare, Hamlet precisa se vingar contra seu tio Cláudio, que matou seu pai e se casou com sua mãe. Em Star Wars, antes de saber a verdade sobre Darth Vader, Luke Skywalker acredita que o Lorde Sith matou seu pai e esse é um dos motivos pelos quais o enfrenta. Em O despertar da força, Kylo Ren tem problemas familiares mal resolvidos com seus pais, Han e Leia, e também com seu tio Luke. Por mais que exista a disputa pela soberania da galáxia (ou pelo reinado da Dinamarca), as questões familiares ocupam papéis centrais tanto em Hamlet quanto em Star Wars.

5 – Star Wars é apenas entretenimento? As peças de Shakespeare também eram

Uma saga tão popular quanto Star Wars tem milhões de adoradores, mas também tem sua cota de detratores. A principal acusação contra a aventura espacial é a de que ela não tem profundidade, servindo apenas de escapismo para as massas. O que muita gente não sabe é que muitas peças de Shakespeare também foram vistas dessa forma quando foram escritas. Sua companhia teatral atuava para plateias eruditas, mas também para o povão, que ia aos teatros atrás de diversão, como muitas pessoas que vão ao cinema hoje em dia. Provavelmente, Star Wars nunca vai alcançar o grau de excelência que é atribuído às obras de Shakespeare, mas, sinceramente, isso importa? É perfeitamente possível gostar, ao mesmo tempo, de Hamlet, Otelo e O Mercador de Veneza e de duelos de sabres de luz disputados numa galáxia muito, muito distante. Que a força esteja com você.

Imagens extraídas da internet.

 

2 comentários em “Lista | 5 razões que provam que a saga Star Wars poderia ter sido criada por William Shakespeare

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s