Lista | As 10 músicas mais influentes de Chuck Berry

Poucos artistas personificaram tanto um estilo musical quanto Chuck Berry. O cantor e guitarrista, morto no último sábado aos 90 anos, definiu, ainda nos anos 50, as principais diretrizes do rock and roll: um ritmo rápido, guiado por uma guitarra afiada, capaz de fazer borbulhar os hormônios dos jovens.

Nas letras, Berry cantava sobre carros, garotas, a vida na escola e sobre o próprio rock. A sagacidade e a precisão de suas palavras e a total sintonia com seu público fizeram com que ele fosse considerado um dos maiores poetas do rock. E quem disse isso foram letristas do calibre de John Lennon, Mick Jagger e Bruce Springsteen.

Elvis, Beatles, Rolling Stones… Todos eles seguiram o bê-á-bá criado por Chuck Berry. Confira uma lista com as 10 músicas mais influentes do mestre:

1) Maybellene (1955)

O primeiro single lançado por Chuck Berry era uma adaptação de uma música caipira chamada Ida Red. O músico acelerou o ritmo country, acrescentou elementos do blues e criou um novo estilo musical. Anos depois, a revista Rolling Stone afirmou: “O rock and roll começa aqui”.

2) Roll over Beethoven (1956)

Berry tira um sarro de compositores eruditos como Beethoven e Tchaikovsky, dizendo que eles vão se revirar no caixão quando ouvirem o rock. O riff de guitarra da introdução é um dos mais famosos de todos os tempos.

3) Johnny B. Goode

Um dos maiores clássicos do rock. A introdução é parecida com a de Roll over Beethoven, mas é ainda mais impressionante. Inspirado na sua própria vida e na de seu pianista, Johnnie Johnson, Berry canta sobre um jovem músico caipira e semianalfabeto, mas que é um tremendo guitarrista. É a música tocada por Marty McFly na cena do baile de De volta para o futuro.

4) You can’t catch me (1956)

A música foi lançada em 1956 mas não entrou nas paradas. Entretanto, a faixa virou notícia em 1973, quando a editora musical responsável por ela processou os Beatles, alegando que Come together era plágio de You can’t catch me. O processo terminou num acordo, no qual John Lennon se comprometeu a regravar oficialmente You can’t catch me (ela foi lançada em seu álbum Rock’n’roll, de 1975).

5) Sweet little sixteen (1958)

Outra música que gerou confusão. Em 1963 os Beach Boys pegaram a melodia de Sweet little sixteen e colocaram uma nova letra. A canção foi batizada de Surfin’ U.S.A. e se tornou um dos grandes sucessos da banda californiana. Pra evitar um processo, os direitos da música foram repassados para a editora que publicava as composições de Chuck Berry, e o guitarrista passou a ser creditado como coautor ao lado de Brian Wilson.

6) Rock and roll music (1957)

Berry deixa bem claro: “Precisa ser rock and roll se você quiser dançar comigo”. A música fazia parte do repertório dos Beatles e foi regravada em 1964 no álbum Beatles for sale. Os Beach Boys também fizeram sucesso (dessa vez sem polêmica) com um cover de Rock and roll music, alcançando a posição de número 5 nas paradas dos Estados Unidos em 1976.

7) School Days (1957)

Chuck Berry canta sobre um dia difícil na escola, onde o personagem da música precisa encarar um professor malvado, uma merenda ruim e o bullying de um colega de classe. Depois das três da tarde, porém, o garoto está livre “do seu fardo”, e pode namorar, dançar e ouvir música na jukebox. School days foi cantada até por Bart Simpson no álbum The Simpsons sing the blues (lançado em 1990).

8) Memphis, Tennessee (1959)

Uma das músicas mais influentes de Chuck Berry. Praticamente todas as bandas da “invasão britânica” tinham Memphis, Tennessee no repertório, como The Who, The Animals, Rolling Stones, Beatles, The Hollies… A versão de Johnny Rivers, lançada em 1964, chegou à segunda posição da Billboard.

9) Come on (1961)

A versão original de Berry não fez muito sucesso, mas, dois anos depois, ela foi regravada pelos Rolling Stones e lançada como o primeiro single da banda. Aliás, foi a admiração por Chuck Berry (e por outros músicos de blues) que aproximou Mick Jagger de Keith Richards.

10) You never can tell (1964)

30 anos depois de seu lançamento, a música se tornou extremamente popular ao ser usada em uma das cenas mais cultuadas da história do cinema. Quem é que não se lembra de John Travolta e Uma Thurman participando de um concurso de twist em Pulp Fiction? Pois é, a música que eles dançam é justamente You never can tell.

Imagens extraídas da internet.

 

 

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s