Resenha | Legado de sangue, de Claudia Gray

É uma pena que a editora Aleph não esteja mais publicando os livros de Star Wars aqui no Brasil. Com isso, Legado de sangue se esgotou e não se sabe quando (ou se) será republicado. O livro é muito bom e tem tudo para agradar antigos e novos fãs da saga.

O início de uma nova guerra

Legado de sangue é canônico (ou seja, seus acontecimentos fazem parte da linha do tempo oficial de Star Wars) e se passa alguns anos antes do filme O despertar da força. Apesar da aparente paz, é uma época difícil para a Nova República: o Senado está dividido entre duas facções, os Centristas e os Populistas, grupo do qual a Princesa Leia, que protagoniza o livro, faz parte.

Leia está cansada da vida pública e decide abandonar a política para poder passar mais tempo com Han Solo. Ela também está preocupada por ter poucas notícias do filho Ben, que está treinando com Luke Skywalker para se tornar um Jedi — se você assistiu a nova trilogia, já sabe o que está acontecendo…

Antes de anunciar sua decisão de renunciar ao Senado, Leia atende uma solicitação para investigar o misterioso crescimento de um grupo de contrabandistas, e acaba descobrindo um plano que pode fazer com que a galáxia mergulhe em uma nova guerra.

A escritora norte-americana Claudia Gray.

Um ótimo livro de espionagem

Embora tenha algumas cenas de ação, Legado de sangue é mais um livro de espionagem do que de aventura. E dos bons. Mesmo que as manobras políticas sejam a espinha dorsal da trama, o livro de Claudia Gray não é entediante em nenhum momento. A autora se mantém fiel à essência da protagonista e utiliza muito bem os coadjuvantes, tanto os velhos conhecidos, como Han Solo e C-3PO, quanto novos nomes, como o senador centrista Ransolm Casterfo e a assessora Greer Sonnel. Vários personagens de toda a saga aparecem ou são citados.

E isso nos leva a Darth Vader e seu “legado de sangue”. Leia nunca tornou público o fato de ser filha biológica do Lorde Sith, mas um segredo tão grande quanto esse talvez não possa ser guardado para sempre. A questão da paternidade, aliás, é bem presente no livro, que dá destaque também à figura de Bail Organa, pai adotivo de Leia.

Saudosistas do Império

Existe ainda um outro legado que é discutido na obra, que tem ecos bizarros no mundo real. Ao longo do livro, Leia descobre que existem pessoas saudosas da ditadura do Império Galáctico, que não apenas sentem falta do regime derrotado pela Aliança Rebelde, mas também questionam a veracidade dos fatos históricos. Sim, eu também tenho a impressão de que, infelizmente, já vi isso em algum lugar…

Se não bastassem todas as qualidades que eu falei até aqui, Legado de sangue ainda mostra os primeiros passos da Primeira Ordem e da Resistência. O livro está custando uma fortuna em sebos, mas, se você é fã de Star Wars e se deparar com um exemplar por um preço bacana, aproveite.  Tomara que ele ganhe logo uma nova edição!


Capa do livro Star Wars Legado de Sangue, de Claudia Gray.

Avaliação: 4 de 5.

LEGADO DE SANGUE
Autora:
Claudia Gray
Tradução: Márcia Men
Editora: Aleph
Páginas: 360
Onde comprar: esgotado


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s