Resenha | Em busca de Watership Down, de Richard Adams

Quando resolvi ler Em busca de Watership Down, pensei que leria “um livro bonitinho de aventura de coelhinhos“. Mas, na mesma hora, o Lucas olhou pra mim e disse: “acho que esse livro não é tão fofo quanto você está pensando”. Mesmo assim, lá fui feliz da vida com “meus coelhos” (sim, é assim que me refiro a eles).

Publicada originalmente em 1972, esta é a história de um grupo de coelhos que vai embora de sua toca depois que um deles — o pequeno Quinto — tem uma visão do local sendo destruído e ficando coberto de sangue.

O escritor inglês Richard Adams (1920-2016). Foto: Reprodução.

No começo da leitura, me senti um tanto perdida: são muitos animais, nomes diferentes e diversas expressões do idioma lapino, que foi inventado pelo autor. Mas, com o decorrer da história, vamos nos acostumando às personalidades de cada integrante do grupo, nos envolvemos com suas aventuras, passamos a entender seus medos, dúvidas, angústias e, claro, passamos a torcer para que tenham sucesso nesta jornada que pode custar suas vidas.

Mais de uma vez ao longo desta incrível fantasia me peguei prendendo a respiração, com lágrimas nos olhos (em alguns momentos, muitas lágrimas) e comemorando suas conquistas.

Em busca de Watership Down inspirou a minissérie homônima disponível na Netflix. Vale a pena dar uma chance aos episódios, embora o desenvolvimento da história e, especialmente, a construção dos personagens, estejam longe de ser tão ricos quanto no livro. Há também uma animação — bem violenta — de 1978, que foi traduzida no Brasil como Uma grande aventura. Esta ainda não tive a oportunidade de assistir, mas é possível encontrá-la no YouTube.

Caso pareça bobo e infantil demais ler sobre um grupo de coelhos fugitivos, leve em consideração que nesta aventura há sim diversão, mas também uma forte reflexão sobre amizade, lealdade, vida em comunidade, opressão, loucura e delírio coletivo. Bem atual, não?

A edição da Planeta é muito caprichada: ela tem capa dura, vem com a sobrecapa da série e possui um mapa que mostra o caminho percorrido por Quinto, Avelã, Topete e companhia. A tradução, a cargo de Rogério Galindo, também é excelente.

A edição da Planeta (à direita) e a sobrecapa da série (à esquerda).

Ah, também vale lembrar que Em busca de Watership Down é o segundo livro juvenil de Fantasia mais vendido no Reino Unido, perdendo apenas para Harry Potter!


Avaliação: 5 de 5.

EM BUSCA DE WATERSHIP DOWN
Autor:
Richard Adams
Tradução: Rogério Galindo
Editora: Planeta Minotauro
Páginas: 464
Onde comprar: Amazon


Postado por Carla Furlan

É publicitária, atriz e bailarina. É fã de O Senhor dos Anéis, Game of Thrones e do diretor Quentin Tarantino. Na música, adora Nando Reis, Beatles, Elvis e até hoje ama os Backstreet Boys.

2 comentários em “Resenha | Em busca de Watership Down, de Richard Adams

  1. Não leio muito fantasia, mas gostei da premissa desse livro e fiquei curiosa para ler. Além disso, que edição linda essa de capa dura. Com certeza é uma leitura que gera muita reflexão!♥

    Curtido por 1 pessoa

    1. Recomendo muito porque realmente gera boas reflexões! A capa é apaixonante (assim como os personagens da história). Se você ler, não esquece de contar pra gente o que achou, tá?! ♥️

      Curtido por 2 pessoas

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s