Resenha | Professor de escrita criativa, Luís Roberto Amabile escreve ótimos contos em ‘O lado que não era visível para quem estava na estrada’

É uma pena que tantos leitores digam que não gostam de contos. Ao ler apenas romances, eles deixam de conhecer obras-primas da literatura mundial e excelentes trabalhos de autores contemporâneos, como é o caso deste O lado que não era visível para quem estava na estrada.

Nele, o escritor Luís Roberto Amabile reúne 16 histórias curtas bem diferentes entre si, embora alguns assuntos e elementos sejam recorrentes. Em mais de um conto nos deparamos com personagens frustrados, com relações familiares difíceis, sofrendo os efeitos da passagem do tempo ou precisando, de alguma maneira, encarar a morte — acidentes de carro são frequentes ao longo do livro.

Apesar desses temas espinhosos, o texto de Amabile não é pesado, embora exale melancolia. Muita coisa fica implícita, como a atitude sórdida do noivo no ótimo conto que dá nome ao livro. O que o personagem faz é evidente, mesmo que não seja dito com todas as letras.

O escritor Luís Roberto Amabile. (Foto: Luan Vargas/Divulgação)

Mas O lado que não era visível para quem estava na estrada não é constituído apenas de dor e tristeza. Luís Roberto Amábile também dialoga com outras obras e autores, trazendo o ofício literário para o centro de várias histórias. Em Fresta, ele narra um encontro com Paul Auster durante a Festa Literária de Paraty. Dois homens que (nunca) se encontram em Buenos Aires é sobre Rodolfo Walsh, morto pela ditadura argentina. Já em Budapeste, Amabile insere a si próprio no conto e apresenta um relato que mistura realidade (será?) com pura invenção literária, remetendo a Jorge Luis Borges e, obviamente, a Chico Buarque.

A influência da crônica também é evidente no estilo do autor, como fica claro em Cena citadina contemporânea e no inusitado Acontecimento no fim de tarde.

O lado que não era visível para quem estava na estrada é excelente e recomendo bastante a leitura. Luís Roberto Amabile é professor de escrita criativa e, não por acaso, colaborou com Luiz Antonio de Assis Brasil em Escrever ficção, livro que é referência sobre criação literária no país. A leitura desses contos mostra mais uma vez que Amabile entende muito sobre arte que ele ensina.


O LADO QUE NÃO ERA VISÍVEL PARA QUEM ESTAVA NA ESTRADA
Autor:
Luís Roberto Amabile
Editora: Zouk
Páginas: 116
Onde comprar: Amazon

Livro enviado como cortesia pelo autor.


Postado por Lucas Furlan

É formado em Comunicação Social e trabalha com criação de conteúdo para a internet. Toca guitarra e adora música e cinema, mas, antes de tudo, é um leitor apaixonado por livros.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s